Suits: coaching e os bastidores do universo jurídico


SUITS -- Season: 2 -- Pictured: (l-r) Patrick J. Adams as Mike Ross, Gabriel Macht as Harvey Specter -- Photo by: Robert Ascroft/USA Network

O processo de coaching ideal está centrado nas relações entre quem ensina e quem busca o ensinamento. Sintonia é essencial quando esse trabalho é feito face-to-face. Com o emprego de ferramentas e técnicas cientificamente comprovadas, é possível potencializar resultados, trabalhar estratégias de sucessão e qualificação, além de habilidades de liderança.

A inspiração pode vir das ruas, da situação macroeconômica do país e da situação pessoal de cada um. Para quem tem curiosidade, filmes e seriados ilustram como uma pessoa pode ser mentora de outra – mesmo que não tenha esse papel formal.

Hoje, o coach Alexandre P. Machado, sócio-fundador da Lucky Co. e membro da Sociedade Brasileira de Coaching, mostra como esse trabalho aparece na série americana “Suits”, que se passa em um grande escritório de advocacia. Veja suas observações sobre a obra de ficção extremamente fiel ao mundo real:

1. “Suits” tem uma relevância que transcende as histórias contadas nos seriados por ser um retrato do ambiente corporativo das grandes bancas advocatícias. Há muita pressão por resultados e alta performance. Ali, é fácil identificar os personagens em fases distintas de suas carreiras. Preste atenção na líder Jessica Pearson, com sua firmeza e palavra final, na entrante Rachel Zane, com seus sonhos e ambições, e no alpinista Louis.

2. O prato principal é servido pelo grande Harvey Specter, advogado mais renomado da cidade, que passa generosas doses de mentoria, fruto de sua trajetória vencedora (“Eu nunca perdi um caso”, diz ele) ao pupilo Mike Ross, jovem genial com memória fora do comum (habilidade).

3. Fique ligado: Harvey utiliza elementos de coaching. Exemplo? Interfere na maneira de pensar de Mike, questiona suas opiniões constantemente e orienta até seu dress code – o que, no ambiente da alta advocacia nova-iorquina, é essencial (eles são os engravatados mais cobiçados da Big Apple).

4. O business coaching efetivo ganha relevância quando praticado por um profissional com vivência corporativa anterior. Esse profissional acaba atuando em uma fronteira tênue com a mentoria – que é um approach bastante pessoal e incisivo no direcionamento da carreira.

A propósito: A sexta temporada está atrasada no Brasil, mas vale aguardar!

Good luck!

Comentários

comentários

Comentários